Navigation

Boeing é investigada por licitação da Nasa para missão à Lua

(Arquivo) O chefe de atividades espaciais da Boeing, Jim Chilton afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 17. novembro 2020 - 21:06
(AFP)

A gigante do setor aeroespacial americano Boeing é alvo de investigações administrativas e judiciais, sob suspeita de ter se beneficiado de informações internas da Nasa para responder a um chamado de licitação para a construção de um trem de pouso lunar, informou nesta terça-feira o "Washington Post".

Segundo o jornal, o inspetor geral da Nasa e o Departamento de Justiça abriram investigações sobre o caso, que provocou em maio a demissão repentina do chefe do programa de voos tripulados da Nasa, Doug Loverro. Naquele momento, soube-se que sua renúncia estava ligada a um chamado de licitação, mas o motivo exato era desconhecido.

De acordo com o Washington Post, Loverro informou ao chefe de atividades espaciais da Boeing, Jim Chilton, que a proposta apresentada pelo grupo perderia para as ofertas concorrentes. Pressionado pelos prazos apertados do cronograma, Loverro queria saber se a Boeing iria recorrer da decisão, atrasando por meses o programa de retorno à Lua. Mas a Boeing aproveitou a oportunidade para apresentar outra proposta à Nasa, de forma irregular.

A Nasa acabou escolhendo outros três finalistas: SpaceX, Dynetics e uma aliança liderada pela Blue Origin. O Departamento de Justiça e a Nasa não responderam às consultas feitas pela AFP. "Não temos mais comentários sobre esse artigo", declarou uma porta-voz da Boeing, sem negar o conteúdo do mesmo.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.