Navigation

Bolsonaro passeia por Brasília e afirma que 'Brasil não pode parar'

Presidente Jair Bolsonaro em coletiva de imprensa em Brasília em 18 de março de 2020 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 29. março 2020 - 17:25
(AFP)

O presidente Jair Bolsonaro voltou a ignorar as orientações do Ministério da Saúde, neste domingo, caminhando por Brasília, aproximando-se de apoiadores e reforçando seu pedido para quebrar a quarentena. "O Brasil não pode parar", disse, apesar do avanço do novo coronavírus, que já causou mais de 100 mortes no país.

"O que eu tenho conversado com o povo é que eles querem trabalhar. Vamos tomar cuidado, maior de 65 fica em casa", disse Bolsonaro a um vendedor ambulante, como pode ser visto em vídeo postado na sua conta oficial do Twitter, menos de um dia depois de o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, ter ressaltado a importância do isolamento social na luta contra a doença.

O presidente de 65 anos também promoveu o uso da hidoxicloroquina para tratar a Covid-19 no Brasil, que já soma 3.904 casos e 114 mortes. Apoiando-se em "um estudo francês", Bolsonaro afirmou que o remédio "é uma realidade".

Consultada, sua assesoria não informou a qual estudo Bolsonaro fez referência.

O presidente publicou quatro vídeos em sua conta no Twitter nos quais ele é visto em meio a pequenas aglomerações e nas proximidades da residência oficial conversando com seus apoiadores.

Mais cedo, o presidente foi ao Hospital das Forças Armadas. Sua assessoria de comunicação informou que se tratou de uma "agenda pessoal".

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.