Navigation

Bolsonaro recebe deputado de direita francês Nicolas Dupont-Aignan

O presidente do partido de extrema-direita francês 'Debout la France' (Levantar a França) , Nicolas Dupont-Aignan, discursa durante encontro marcando o início do ano político, em 26 de setembro de 2020, em Paris afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 10. dezembro 2020 - 00:36
(AFP)

O deputado de direita francês Nicolas Dupont-Aignan foi recebido nesta quarta-feira (9), em Brasília, pelo presidente Jair Bolsonaro, após ter se reunido com o chefe da diplomacia e com o deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, em um contexto de relações bilaterais tensas.

Em visita esta semana ao Brasil, com escalas em Brasília e no Rio, no âmbito de uma missão por ocasião de um informe parlamentar sobre a poluição dos oceanos, Dupont-Aignan disse à AFP "ter matado dois coelhos com uma cajadada só" ao se referir a suas conversas políticas.

"Eu encontrei o presidente do Brasil, nós nos conhecemos", disse o deputado após um encontro de 15 minutos com Bolsonaro.

"Acho que as relações franco-brasileiras precisam ser reaquecidas e eu cumpro meu dever de patriota", disse o candidato às presidenciais francesas de 2022, enquanto praticamente nenhum político francês visitou o Brasil em um ano e meio.

As relações entre Paris e Brasília não se recuperaram da polêmica violenta entre os presidentes Emmanuel Macron e Jair Bolsonaro em agosto de 2019, quando a Amazônia foi devastada por incêndios gigantescos.

Um ano e meio depois, o deputado recebeu um tratamento melhor que o ministro francês das Relações Exteriores, Jean-Yves Le Drian, que viu Bolsonaro cancelar o encontro bilateral, preferindo ir ao barbeiro. Na ocasião, Le Drian ironizou a "urgência capilar" do presidente.

"Eu não vim fazer uma viagem política, vim fazer uma viagem parlamentar. O ministro e as personalidades (brasileiras) quiseram me ver", justificou-se Dupont-Aignan, cuja visita foi organizada pelo embaixador do Brasil na França, Luís Fernando Serra, próximo a Bolsonaro.

Após um almoço com o chanceler Ernesto Araujo, Dupont-Aignan se reuniu com o deputado Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, com quem abordou "o Mercosul, as relações com a França, a questão da Amazônia".

"Eu o encontrei porque é presidente da Comissão de Relações Exteriores (da Câmara) e por eu ser membro da (mesma) comissão" na Assembleia Nacional francesa, explicou.

Em um tuíte postado à noite, Eduardo Bolsonaro publicou fotos do encontro com o presidente do partido Debout la France (Levantar a França) e elogiou o deputado francês, que "obteve quase 5% na última eleição presidencial".

"Partilhamos dos mesmo valores, enxergamos qualidades no nacionalismo e somos contra o globalismo", escreveu o deputado brasileiro.

"Fico muito triste de que França e Brasil estejam em um período frio", declarou Dupont-Aignan. O Brasil "é um grande país para nós e se eu puder contribuir (...) para um diálogo, considero importante".

"Eu digo a todo mundo. Acho que nossa diplomacia francesa não se orienta o suficiente para a América Latina", acrescentou o deputado francês.

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?