Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Frigorífico uruguaio, em San Jacinto, prepara carnes para exportação, em 31 de outubro de 2012

(afp_tickers)

A China foi o principal destino das exportações de bens uruguaios no primeiro semestre do ano, superando o Brasil, tradicional número um do ranking, informaram o Instituto Uruguai XXI (público-privado) e a União de Exportadores (UEU), nesta terça-feira.

"As vendas para a China somaram 806,6 milhões de dólares, aumentaram 11,53% e representaram 16,2% do total", informa o relatório da UEU. "Isso sem considerar a mercadoria que chega à China das zonas francas" e que representa cerca de 17% do total, acrescentou.

Entre os principais produtos exportados pelo Uruguai para a China estão soja, carne e produtos lácteos.

O Brasil caiu para o segundo lugar da lista de importadores do Uruguai, com recuo de 0,43% no primeiro semestre, em comparação ao mesmo período do ano passado.

As maiores quedas das exportações uruguaias foram para o Chile (-29,03%), com recuo na venda de carne, e para a Holanda (-21,03%), que importou menos soja e carne.

Na primeira metade do ano, o Uruguai totalizou 4,981 bilhões de dólares em exportações – cerca de 7,8% a mais em relação ao mesmo período de 2013 - e 4,687 bilhões de dólares em compras no exterior. Isso significa um aumento de 5,7% ao ano, somando um superávit de 294 milhões de dólares.

O produto mais vendido no intervalo entre janeiro e junho foi a soja, com compras que chegaram a 24% do total, seguido da carne.

Em junho, a balança comercial uruguaia teve um superávit de 316 milhões de dólares, com um aumento das exportações de 22,7% em relação ao mesmo mês do ano anterior, a 1,125 bilhão de dólares, e de 21,5% nas importações, a 809 milhões de dólares.

AFP