Navigation

COVID-19 coloca o sistema de saúde pública chileno 'perto do limite', diz presidente

(Arquivo) Foto divulgada pela presidência do Chile mostra o presidente chileno Sebastian Pinera afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 24. maio 2020 - 22:52
(AFP)

O coronavírus colocou o sistema de saúde do Chile "próximo ao limite", declarou o presidente Sebastián Piñera neste domingo, com hospitais trabalhando em sua capacidade máxima por conta de um aumento sustentado dos casos e do número de mortes que já ultrapassou 700.

"Estamos muito conscientes de que o sistema de saúde é muito exigido, muito exigido, muito sobrecarregado. Ontem, ouvi alguns especialistas que disseram que estamos 'muito próximos do limite': é verdade, estamos próximos do limite", disse Piñera durante a inauguração de um hospital de campanha no sul da capital chilena, com 100 leitos para cuidar dos infectados.

Piñera afirmou que isso ocorre porque "tivemos um aumento muito grande na demanda por leitos de tratamento intensivo" nos hospitais chilenos, cujas unidades de terapia intensiva apresentam uma taxa de 85% de ocupação.

A disseminação sustentada do vírus continuou a bater recordes preocupantes neste domingo no Chile: 3.709 novos casos foram registrados e 45 pessoas morreram nas últimas 24 horas, elevando a 69.102 o total de infectados e a 718 o número de mortos desde 3 de março, quando o primeiro infectado foi confirmado no país.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.