Navigation

Democratas criticam Trump pelo uso de ameaças comerciais contra México

Democratas criticaram a tática do presidente Donald Trump de usar ameaças tarifárias para pressionar o México a conter o fluxo de migrantes afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 09. junho 2019 - 16:29
(AFP)

Os democratas criticaram, neste domingo, a tática de Donald Trump de ameaçar o México com tarifas punitivas para obter concessões sobre a migração e afirmaram que o presidente dos Estados Unidos compromete os laços com um importante aliado e parceiro comercial.

"Do que o mundo está cansado e do que estou cansado é de um presidente que está constantemente indo à guerra, a uma guerra verbal com nossos aliados", disse o senador democrata Bernie Sanders na CNN.

"Precisamos de um relacionamento decente com o México", disse Sanders, candidato à indicação presidencial de seu partido para as eleições de 2020.

Seus comentários foram feitos dois dias depois de que os Estados Unidos e o México, após negociações urgentes em Washington, chegaram a um acordo para evitar as tarifas de 5% que Trump ameaçou impor a todas as importações de seu vizinho, uma medida que economistas disseram que teria um impacto devastador nos dois países.

Enquanto isso, o lado mexicano concordou em reforçar a segurança em sua fronteira sul e expandir sua política de abrigar migrantes da América Central enquanto os Estados Unidos processam seus pedidos de asilo.

Trump e seus partidários republicanos elogiaram o acordo como um avanço, mas os democratas criticaram duramente seu recurso frequente de ameaças tarifárias e disseram que muitas das concessões do México datam de alguns meses atrás.

A presidente da Câmara, Nancy Pelosi, disse em um comunicado no sábado que Trump "minou o papel proeminente de liderança dos Estados Unidos no mundo" com suas pressões sobre o México.

"Ameaças e birras não são uma maneira de negociar na política externa", disse.

Beto O'Rourke, ex-congressista da cidade fronteiriça de El Paso, no Texas, que também busca a indicação democrata, foi um dos que questionaram as supostas conquistas de Trump.

"Eu acho que o presidente exagera muito sobre o que ele conseguiu", disse ao "This Week", da ABC.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.