Navigation

Deputados alemães adotam instauração de salário mínimo

A ministra do Trabalho, Andrea Nahles, afirmou que milhares de trabalhadores e trabalhadoras deste país poderão receber um salário considerado decente. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 03. julho 2014 - 13:29
(AFP)

Os deputados alemães aprovaram nesta quinta-feira por ampla maioria a instauração de um salário mínimo em todo o país, cumprindo uma das principais exigências dos sociais-democratas, sócios de governo da chanceler conservadora Angela Merkel.

Com 535 votos a favor (de 601), o Bundestag alemão propicia a aplicação, a partir de 2015, de um salário mínimo de 8,5 euros brutos a hora, uma das medidas chave do terceiro mandato da chanceler Merkel.

"O que decidimos hoje tem um significado excepcional para milhares de trabalhadores e trabalhadoras deste país, que por fim poderão receber um salário decente", declarou a impulsionadora do projeto de lei, a ministra do Trabalho social-democrata Andrea Nahles, em um discurso muito aplaudido antes da votação.

O Partido Social-Democrata (SPD) havia apontado a instauração do salário mínimo como uma importante condição para formar uma coalizão de governo com os conservadores de Angela Merkel após as legislativas de setembro de 2013.

Os sociais-democratas precisaram negociar duramente esta iniciativa com os conservadores, reticentes de que o Estado interfira em um âmbito até agora reservado às negociações entre patronal e sindicatos. Finalmente, Merkel autorizou o salário mínimo para garantir a formação de uma coalizão de governo.

Para garantir o maior apoio possível entre a maioria parlamentar, os sociais-democratas aceitaram excluir sob certas condições várias categorias de trabalhadores, como os aprendizes, os desempregados de longa duração durante seis meses, os menores de idade, os vendedores de jornais e os temporários do campo.

Segundo as estimativas do SPD, a medida levará a partir de 1 de janeiro de 2015 a um forte aumento salarial para quatro dos 42 milhões de trabalhadores com os quais a Alemanha conta. Em 2007 mais um milhão de trabalhadores serão beneficiados.

A Alemanha se une, assim, aos 21 países da União Europeia (de um total de 28) que já aplicam um salário mínimo.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo