Navigation

Dinamarca abate 25.000 aves de criação após primeiro surto de gripe aviária

Depois dos visons, milhares de galinhas são sacrificadas na Dinamarca afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 16. novembro 2020 - 20:30
(AFP)

A autoridade veterinária da Dinamarca anunciou nesta segunda-feira(16) a descoberta do primeiro surto de gripe aviária no oeste da Dinamarca e, por isso, abateu 25.000 aves e interrompeu a exportação de ovos e frangos para fora da União Europeia.

"Vinte e cinco mil aves de uma granja em Renders foram sacrificadas porque estavam infectadas com a severa gripe aviária H5N8", informou a Foedevarestyrelse (agência veterinária estadual) em nota.

Após o aparecimento de surtos na Rússia e no Cazaquistão durante o verão, a doença viral, que não é perigosa para humanos, recentemente se espalhou para a Europa Ocidental. Na França, 46 departamentos mantém as galinhas em suas granjas, enquanto fontes de infecção também foram detectadas na Holanda e no Reino Unido.

A agência dinamarquesa estabeleceu um perímetro de 3 quilômetros ao redor da fazenda infectada, no qual todas as aves estarão sujeitas a restrições especiais, e também anunciou medidas para todos os animais em uma área de 10 quilômetros.

“É importante que (os fazendeiros) protejam suas aves de pássaros selvagens, confinando-as em um local coberto”, explicou John Larsen, chefe dos serviços veterinários na Dinamarca, em um comunicado.

Este surto de gripe aviária levou à interrupção das exportações de ovos e frango dinamarqueses para países fora da União Europeia por três meses.

É a segunda epidemia animal que a Dinamarca enfrenta nos últimos meses, depois que suas autoridades anunciaram no início de novembro o sacrifício de 17 milhões de visons (em um país com menos de 6 milhões de habitantes) após a descoberta de uma mutação do novo coronavírus nesses animais.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.