Navigation

EUA controlará passageiros vindos de cidade chinesa afetada por vírus misterioso

Passageiros esperam para a passar pelo controle de segurança do aeroporto de Nova York, em janeiro de 2019 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 17. janeiro 2020 - 20:23
(AFP)

Autoridades americanas começarão a examinar nesta sexta-feira (17) os passageiros que desembarcarem em voos direto ou de conexão com a cidade chinesa que se tornou foco de um misterioso vírus com características similares ao SARS, e que até o momento já registrou duas mortes.

Nos aeroportos de São Francisco, Los Angeles e JFK (Nova York), os viajantes que chegarem aos EUA vindos de Wuhan serão submetidos a testes de detecção de sintomas.

Segundo informações de um funcionário do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), até o momento, a China já registrou 45 casos desse vírus. A maioria dos casos estão relacionados a um mercado de peixes e mariscos de Wuhan, embora também tenham surgido na Tailândia e no Japão.

Conforme sinalizou a instituição americana, baseada nas informações mais recentes sobre o vírus, chamado de 2019-nCoV, os seus riscos são baixos.

Para a fiscalização, foram disponibilizados 100 funcionários para a inspeção nos aeroportos. Ao chegar nos EUA, os passageiros terão que responder um questionário e submeter-se ao controle de temperatura.

Os passageiros que apresentarem possíveis sinais de infecção serão levados a uma outra unidade para uma avaliação adicional e um diagnóstico rápido.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.