Navigation

Evento de motociclistas pode estar ligado a mais de 260.000 casos de covid-19 nos EUA

Homem com rosto de Donald Trump pintado no corpo caminha pelas ruas de Sturgis, em Dakota do Sul, em 7 de agosto de 2020 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 08. setembro 2020 - 22:53
(AFP)

Os 460.000 motociclistas que se reuniram em Dakota do Sul em agosto, indiferentes à pandemia, podem ter causado o surto de 260.000 novos casos de covid-19, de acordo com um estudo publicado nesta terça-feira.

Este número, não confirmado de forma independente, faria desta reunião de 10 dias, o Sturgis Motorcycle Rally, o maior evento de disseminação do coronavírus documentado até o momento nos Estados Unidos.

O estudo, conduzido por economistas da Universidade de San Diego e publicado pelo Institute for Labor Economics (IZA), é uma aproximação estatística baseada em dados de mobilidade anônimos de telefones celulares dentro e ao redor da pequena cidade de Sturgis, uma região rural escassamente povoada, invadida anualmente por um exército de motociclistas.

Esses dados confirmaram o número de pessoas que foram acampar, sair, beber, comer e ouvir música, a maioria sem máscara, durante a 80ª edição do encontro que aconteceu de 7 a 16 de agosto.

Eles também destacaram as regiões de origem dos motociclistas.

Comparando esses dados geográficos com os números oficiais de casos de covid-19 em agosto, os pesquisadores estimaram a onda de contágio que surgiu em Sturgis e que teria se espalhado por todo o país.

O resultado foi 266.796 casos novos, 19% dos 1,4 milhão detectados nos Estados Unidos entre 2 de agosto e 2 de setembro, a um custo econômico de 12,2 bilhões de dólares, segundo estudo que estimou cada caso não fatal em 46.000 dólares.

Só em Dakota do Sul, o número de casos aumentou durante o verão boreal de cerca de 100 por dia no início de agosto para 300 no final daquele mês, de acordo com o Covid Tracking Project, mas o número de mortes permaneceu muito baixo (um por dia, em média).

Esta análise estatística pode ser apenas uma aproximação, já que ninguém rastreou e testou cada motociclista individualmente.

Além disso, não foi publicado por uma revista científica que incluísse um comitê de pareceristas, portanto, nenhum cientista independente avaliou a metodologia utilizada.

O número de casos aumentou em todo o meio-oeste americano durante o verão boreal, e não apenas na Dakota do Sul.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.