Navigation

Ex-líder paramilitar Jorge 40 é preso na Colômbia após cumprir prisão nos Estados Unidos

Rodrigo Tovar Pupo (C), vulgo "Jorge 40", comandante das Forças de Autodefesa Unidas da Colômbia (AUC), é aplaudido por seus camaradas em 9 de março de 2006 em La Mesa, departamento de Cesar, Colômbia afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 28. setembro 2020 - 21:07
(AFP)

O ex-líder paramilitar Rodrigo Tovar, conhecido como Jorge 40 e que enfrenta dezenas de processos por massacres na Colômbia, foi preso nesta segunda-feira(28) após ser deportado dos Estados Unidos, onde cumpriu pena por tráfico de drogas, anunciaram as autoridades.

Tovar “já está (...) à disposição das autoridades de imigração e judiciárias, e terá de responder à justiça e às vítimas pelas contas pendentes no país”, disse Miguel Ceballos, Alto Comissário para a Paz, no Twitter.

Um dos principais comandantes das extintas Forças de Autodefesa Unidas da Colômbia (AUC), Jorge 40 está envolvido nos piores crimes cometidos por essas milícias de extrema-direita no final dos anos 1990 em sua luta contra os guerrilheiros de esquerda, especialmente na costa caribenha (norte).

Ele também foi parte fundamental das investigações sobre o escândalo da 'parapolítica', que levou dezenas de parlamentares à prisão por seus pactos com os paramilitares.

Os vínculos foram descobertos graças a um dos computadores apreendidos de Jorge 40.

O paramilitar foi extraditado em 2008 para os Estados Unidos, onde se declarou culpado em uma acusação de tráfico de cocaína e foi preso por 12 anos.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.