Navigation

Imigrantes irregulares de origem africana em greve de fome em Israel

A polícia retirou bruscamente imigrantes africanos que protestavam desde sexta-feira contra suas condições de vida no campo de detenção de Holot. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 30. junho 2014 - 14:40
(AFP)

Centenas de imigrantes irregulares de origem africana iniciaram nesta segunda-feira uma greve de fome em Israel em protesto por sua retirada forçada pelas mãos da polícia na véspera perto da fronteira com o Egito, indicou seu comitê de apoio.

A polícia retirou bruscamente estes imigrantes, que protestavam desde sexta-feira contra suas condições de vida no campo de detenção de Holot (sul de Israel) e que foram levados posteriormente à localidade de Holot ou à prisão de Saharonim.

O comitê de apoio denunciou a "violência policial" e anunciou o início de uma greve de fome para protestar contra estes atos de violência e contra sua detenção.

"Convocamos a Agência das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) a encontrar uma solução para nossa situação e para nos proteger como solicitantes de asilo", acrescentou o comitê em um comunicado.

A porta-voz dos serviços de Imigração do ministro israelense do Interior, Sabine Hadad, indicou que a polícia retirou 779 imigrantes nesta operação, na qual cinco imigrantes e cinco agentes ficaram levemente feridos.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?