Navigation

Irlanda investiga Google por processamento de dados de geolocalização

(Arquivo) Vista da sede europeia do Google, em Dublin afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 04. fevereiro 2020 - 17:05
(AFP)

O gigante americano da Internet Google está sendo investigado na Irlanda, onde fica sua sede europeia, em relação ao tratamento de dados de geolocalização de seus usuários - anunciou a Comissão Irlandesa de Proteção de Dados (DPC) nesta terça-feira (4).

Em uma declaração, o órgão regulador explicou ter recebido queixas de diferentes associações de consumidores europeias sobre a falta de transparência no processamento desse tipo dado.

Como consequência, a DPC abriu uma investigação para determinar em que medida o Google tem o direito de analisar as geolocalizações de seus usuários e se cumpre as obrigações de transparência.

Como a empresa tem sua sede europeia neste país, cabe ao regulador irlandês monitorar a conformidade com o Regulamento Geral Europeu de Proteção de Dados (RGPD), estabelecido pela UE em maio de 2018. Estão previstas multas de até 20 milhões de euros, ou 4% do faturamento mundial da companhia.

O Google afirmou, em um comunicado, sua determinação de "cooperar plenamente" com a DPC e assegurou trabalhar estreitamente com os reguladores e as associações de consumidores na Europa.

A DPC também abriu uma investigação sobre o aplicativo de encontros Tinder, pertencente ao Match Group, sobre o processamento dos dados pessoais de seus usuários.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.