Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O Nikkei 225 dos principais valores ganhou 127,57 pontos (+0,84%), a 15.343,28 pontos

(afp_tickers)

O Japão reduziu nesta terça-feira as suas previsões de crescimento anual, em razão da fragilidade das exportações, do aumento inesperado das importações e da elevação do IVA (Imposto sobre Valor Agregado) na terceira maior economia do mundo.

Tóquio indicou uma previsão de crescimento de 1,2% do PIB no ano fiscal concluído em março. A estimativa inicial era de 1,4%.

O Banco do Japão também já tinha revisado para baixo, na semana passada, suas previsões para o mesmo período, de 1,1% para 1%.

"As últimas previsões se baseiam em uma frágil demanda externa e em importações mais robustas do que o esperado", disse um funcionário do governo.

A revisão também ocorre em função da "baixa demanda interna, após o aumento dos impostos sobre o consumo em abril, quando começa o ano fiscal", completou. O IVA subiu de 5% a 8% nessa data.

No ano passado, o primeiro-ministro conservador, Shinzo Abe, lançou um pacote de medidas conhecidas como "Abenomics", com o objetivo de estimular uma economia enferma, após 15 anos consecutivos de deflação.

O governo aumentou o gasto público e o Banco do Japão flexibilizou a política monetária, provocando a queda do iene para a alegria das empresas exportadoras do país.

Os analistas alertaram, contudo, que a moeda mais barata não seria o suficiente, pedindo reformas estruturais na economia japonesa.

AFP