Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O líder do Hezbollah, Hassan Nasrallah

(afp_tickers)

O líder do movimento xiita libanês Hezbollah, Hasan Nasrallah, temido chefe de guerra que pouco aparece em público, afirmou que é um grande fã de futebol e já torceu pelo Brasil.

Também declarou que torceu pela Argentina na final da Copa do Mundo do Brasil.

"Gosto de futebol e jogava como diversão com os amigos, antes e depois de colocar o turbante dos religiosos xiitas", admitiu em uma entrevista ao jornal libanês Al-Akhbar, ligado ao Hezbollah.

Nasrallah afirmou que no passado torcia para o Brasil e às vezes para a Argentina, "sobretudo na época de Maradona, pois adorava seu jogo".

"Na última Copa do Mundo, todo mundo dizia que torcia para o Brasil, mas na realidade eu não torci para ninguém. Em nosso grupo, Hezbollah, há muito tempo as pessoas geralmente apoiam o Brasil, pois gostam do estilo de jogo", disse.

Muitos libaneses afirmam que o Hezbollah torce para a seleção brasileira por suas cores, verde e amarelo, que são as "cores especiais dos xiitas", contou. O verde é a cor do Islã e o amarelo a do Hezbollah.

"Não pude acompanhar a última Copa do Mundo por causa da situação no Líbano, Síria, Gaza e Iraque", afirmou o líder do Hezbollah, mas conseguiu ver uma parte da final, "mas pelo filho do que pela partida em si".

"E como meu filho estava torcendo para a Alemanha, queria criar um ambiente de competição e suspense. Por isto apoiei a Argentina", disse.

Mas a Alemanha venceu a partida, disputada no Maracanã, por 1-0.

AFP