Navigation

Livro póstumo de Stephen Hawking fornece 'breves respostas para as grandes questões'

Último livro de Stephen Hawkings afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 15. outubro 2018 - 17:36
(AFP)

A última obra de Stephen Hawking, na qual ele aborda questões que vão desde a existência de Deus até a possibilidade de viajar no tempo, foi apresentada nesta segunda-feira por seus filhos, que ajudaram a concluir o livro após a morte do icônico astrofísico britânico.

Hawking sempre foi questionado sobre as mesmas coisas, então no ano passado ele começou a trabalhar em "Breves respostas para as grandes questões", mas não conseguiu terminá-lo antes de falecer em março, aos 76 anos.

Seu trabalho foi completado pela família do físico teórico e seus colegas acadêmicos, com material extraído de seu vasto arquivo pessoal.

"Há uma série de perguntas que lhe faziam regularmente", explicou sua filha Lucy Hawking durante a apresentação no Museu de Ciências de Londres.

E este livro foi a tentativa de "reunir as respostas mais definitivas, claras e autênticas que ele deu".

"Todos nós desejamos que ele estivesse aqui para ver isso", acrescentou.

Hawking, que sofria uma doença degenerativa dos neurônios motores, dedicou sua vida para desvendar os mistérios do Universo.

O cientista foi levado ao estrelato por seu livro de 1988 "Uma Breve História do Tempo", um sucesso de vendas em todo o mundo.

Ele ganhou inúmeros seguidores além do mundo da astrofísica, o que levou muitas pessoas a pedir suas opiniões sobre questões mais amplas, que agora encontram sua resposta.

"Tentem entender o que veem e pensem sobre a existência do Universo. Sejam curiosos em todas as circunstâncias, sempre se pode fazer algo e ter sucesso, nunca desistam", escreveu Hawkings.

O livro estará à venda simultaneamente em vários países, incluindo Reino Unido, Estados Unidos, Alemanha, França e Espanha.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.