Navigation

Maduro acusa Trump de atacá-lo para desviar atenção de impeachment

Nicolás Maduro, minutos depois de voltar da Rússia, no aeroporto internacional Simón Bolívar em Maiquetía, na Venezuela, em 26 de setembro de 2019 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 27. setembro 2019 - 00:53
(AFP)

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, acusou seu homólogo dos Estados Unidos, Donald Trump, nesta quinta-feira (26), de atacá-lo para desviar a atenção após a abertura de uma investigação do Congresso por parte dos democratas na última terça.

A medida é o primeiro passo para um eventual processo de impeachment.

Trump "foi a essa reunião buscando fugir da notícia do impeachment que iniciaram contra ele", afirmou Maduro, ao voltar para Caracas, depois de uma visita oficial à Rússia, na qual foi recebido pelo presidente Vladimir Putin.

Maduro reagiu, assim, a um encontro ontem entre Trump e representantes de mais de 20 países da região. Nele, o presidente americano afirmou que a Venezuela foi "destruída pelo socialismo", mas que os venezuelanos "serão livres".

Ainda segundo Trump, o país sul-americano "atravessa uma tragédia de proporções históricas".

O encontro aconteceu em paralelo à Assembleia Geral anual da ONU.

Na quarta-feira, a Casa Branca anunciou novas sanções que proíbem a entrada, em solo americano, de funcionários do alto escalão do governo venezuelano. A medida se estende a seus familiares.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.