Navigation

Mais de 16 mil mortos pelo novo coronavírus no mundo, segundo balanço da AFP

Trabalhadores municipais de Quito atendem pessoas sem teto afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 23. março 2020 - 20:34
(AFP)

O novo coronavírus causou pelo menos 16.146 mortes em todo o mundo desde o seu surgimento, em dezembro, segundo um balanço feito pela AFP com base em fontes oficiais até as 19h GMT desta segunda-feira.

Desde o início da epidemia, 361.510 casos oficiais foram registrados, em 174 países ou territórios.

O número de casos positivos diagnosticados reflete apenas parte do número total de infecções, devido às políticas de cada país para diagnosticar os doentes, e ao fato de que alguns testam apenas as pessoas que precisam de hospitalização.

Nas últimas 24 horas, foram registrados 1.748 novas mortes e 37.217 infectados em todo o mundo. Os países com maior número de óbitos em 24 horas foram Itália, com 601; Espanha, com 462; e França, com 186.

Na Itália, que registrou a primeira vítima fatal no fim de fevereiro, 6.077 pessoas já morreram pelo novo coronavírus. O país contabiliza 63.927 infectados. Segundo autoridades italianas, 7.432 pessoas se curaram.

A China continental (sem contar Hong Kong e Macau), onde a epidemia surgiu, no fim de dezembro, registra um total de 81.093 pessoas infectadas, das quais 3.270 morreram e 72.703 ficaram curadas. Nas últimas 24 horas, foram registrados 39 novos casos e nove óbitos.

Depois da Itália e da China, os países mais afetados são Espanha, com 2.182 mortos e 33.089 casos; Irã, com 1.812 mortes (23.049 casos); França, com 860 mortes (19.856 casos); e Estados Unidos com 499 mortes (41.511).

Nas últimas 24 horas, Gâmbia, República Tcheca, Nigéria, Zimbábue e Montenegro anunciaram as primeiras mortes pelo novo coronavírus. A Síria anunciou os primeiros casos.

Este balanço foi feito a partir de dados de autoridades nacionais coletados pelos escritórios da AFP, e com informações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.