Navigation

Mais de 5.500 mulheres peruanas desapareceram em 2020, segundo relatório

Milhares de pessoas protestam pelos direitos das mulheres durante a marcha "Ni Una Menos" no Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres em Lima, em 25 de novembro de 2017 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 19. janeiro 2021 - 22:29
(AFP)

Mais de 5.500 mulheres, incluindo menores de idade, foram dadas como desaparecidas no Peru durante 2020, o dobro do ano anterior, informou a Defensoria Pública nesta terça-feira (19).

“O alto número de mulheres desaparecidas em 2020 é preocupante porque estávamos em um contexto de quarentena e pandemia em que as mulheres ficavam em um espaço mais seguro, que eram suas casas”, disse à AFP Patricia Sarmiento, comissária adjunta para os Direitos da Mulher da Defensoria Pública.

De acordo com o relatório intitulado "O que aconteceu com eles?", 1.686 mulheres adultas e 3.835 meninas e adolescentes foram dadas como desaparecidas no ano passado, segundo o Sistema de Busca de Pessoas Desaparecidas do Ministério do Interior.

Em 2019, 2.232 mulheres desaparecidas foram reportadas, de acordo com números de organizações civis feministas.

Este é o primeiro ano que a Defensoria publica este relatório, dado o aumento da violência contra as mulheres, disse a comissária à AFP.

"O problema das mulheres desaparecidas não é mais uma questão em que se possa admitir que o desaparecimento pode ser por questões pessoais, mas está relacionado a formas de violência, tráfico de pessoas e feminicídios", afirmou Sarmiento.

"Todos os dias, em média, são registrados mais de 15 eventos desse tipo (mais de um a cada duas horas, aproximadamente)", indicou a Defensoria no documento.

A pandemia exacerbou a violência contra as mulheres no Peru. Durante a quarentena mais estrita que vigorou de 15 de março a 30 de junho, 915 mulheres foram declaradas desaparecidas: 606 meninas e adolescentes e 309 adultas.

Segundo várias ONGs feministas, a polícia e os promotores não investigam suficientemente os casos porque acreditam que as mulheres fugiram de maneira voluntária, sem atentar para o fato de que o Peru tem altos números de feminicídios, redes de tráfico de pessoas e prostituição forçada.

"Não é apenas preocupante o número de mulheres reportadas como desaparecidas, mas que muitos desses desaparecimentos estejam ligados a outras formas mais atrozes de violência", diz o relatório.

O Peru registrou 138 feminicídios em 2020, dos quais 34 envolveram vítimas declaradas desaparecidas. Em 2019, houve um triste recorde de 166 feminicídios.

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?