Navigation

Militares bolivianos vão patrulhar Cochabamba para combater COVID-19

Policial verifica a temperatura de um soldado em La Paz, na Bolívia afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 16. abril 2020 - 23:10
(AFP)

Militares bolivianos começaram a patrulhar nesta quinta-feira (16)a cidade central de Cochabamba sob o lema "somos todos soldados" contra a COVID-19 para induzir a população a permanecer em casa e evitar o contágio.

O lema busca aumentar "a moral" da tropa que "tem combatido o que chamamos de guerra contra a COVID-19", explicou o coronel Danny Cuadros, da Sétima Divisão do Exército.

O governo transitório da Bolívia levou militares à região de Santa Cruz, onde está a metade dos mais de 400 infectados do país. Até o momento o vírus matou 29 bolivianos.

Como parte da mobilização a Cochabamba, terceira cidade do país depois de Santa Cruz e La Paz, bandas militares vão tocar música regional nas ruas na próxima sexta-feira.

Cuadros pediu à população para sair às varandas de suas casas, em telhados ou janelas, mas que evite aglomerações nas ruas.

O slogan ajudará "nesta guerra contra esse vírus (...), a aumentar e manter o moral do nosso pessoal", declarou o comandante da guarnição militar de Cochabamba, o general Alfredo Cuéllar.

Desde o início do surto do coronavírus na Bolívia, em março, o governo confiou nas forças armadas e na polícia para a manutenção do total confinamento, que inclui o fechamento das fronteiras, espaço aéreo e por limitar a circulação nas ruas.

O confinamento obrigatório foi prorrogado até 30 de abril.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.