Navigation

Nasa assina contrato milionário com Lockheed para próxima missão lunar

A Nasa fechou um contrato de 3 bilhões de dólares para retornar à Lua a partir de 2024. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 24. setembro 2019 - 02:00
(AFP)

A agência espacial americana destinou cerca 3 bilhões de dólares à gigante da indústria aeroespacial Lockheed Martin para construir três cápsulas Orion, as naves que serão utilizadas pelos astronautas dos Estados Unidos no retorno das missões na Lua a partir de 2024.

O contrato, anunciado nesta segunda-feira (23) pela Nasa e pela Lockheed Martin, prevê um primeiro pedido de três cápsulas por 2,7 bilhões de dólares para as missões III, IV e V do programa Artemis, que está programada para enviar uma mulher à Lua pela primeira vez.

Cada um dos aparelhos transportará quatro astronautas e ter condições de ser reutilizado "pelo menos uma vez".

"Este contrato garante a produção de (cápsulas) Orion para a próxima década, e mostra o compromiso da Nasa para estabelecer uma presença permanente na Lua (...) e preparar o envio de astronautas a Marte", disse o administrador da agência, Jim Bridenstine.

Embora tenha uma aparência semelhante às cápsulas da missão Apollo das décadas de 1960 e 1970, esta espaçonave será muito mais espaçosa, com capacidade para acomodar uma tripulação por três semanas e permanecer conectada à futura miniestação orbital Gateway por seis meses.

O primeiro voo não tripulado do programa Artemis, batizado em homenagem à deusa grega, irmã gêmea de Apolo, está programado para 2020, mas a agência admitiu que não será capaz de cumprir o cronograma.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.