Navigation

Nova marcha opositora na Argentina contra medidas sanitárias

No último domingo, 13 de setembro de 2020, outro protesto levou cidadãos argentinos às ruas de Buenos Aires contra a extensão da quarentena obrigatória e contra o projeto de reforma judicial do governo afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 19. setembro 2020 - 22:03
(AFP)

Centenas de pessoas se manifestaram neste sábado na capital argentina contra as medidas sanitárias do governo do presidente Alberto Fernández para conter o contágio do coronavírus, em um momento em que as mortes ultrapassam 12.000 no país sul-americano.

Apoiada por políticos da oposição Juntos pela Mudança, na marcha ouviam-se gritos de insatisfação com as restrições sanitárias para conter a pandemia, mas também uma mistura de reivindicações que questiona a política do governo.

O protesto acontece depois que o Ministério da Saúde informou na sexta-feira sobre um recorde diário de 11.945 novos casos.

Com bandeiras argentinas e máscaras de queixo, os manifestantes, a pé ou de carro, se aglomeraram em torno do Obelisco de Buenos Aires, como fazem todos os sábados, desafiando as recomendações sanitárias de manter o distanciamento social para evitar contágios.

A Argentina, com uma população de 44 milhões de pessoas, registrou 613.645 casos com 12.705 mortes até este sábado.

O governo nacional anunciou nesta sexta-feira que as medidas de restrição que começaram no dia 20 de março vão até 11 de outubro.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.