Navigation

Popularidade de Vizcarra sobe para 79% após dissolução do Congresso do Peru

(Arquivo) O presidente peruano, Martín Vizcarra afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 13. outubro 2019 - 15:52
(AFP)

A popularidade do presidente peruano, Martín Vizcarra, chegou a 79% em outubro, 31% a mais do que no mês anterior, após a dissolução do Congresso, dominado por uma oposição obstrucionista - revela uma pesquisa da Ipsos divulgada pelo jornal "El Comercio" neste domingo (13).

Apenas 16% dos entrevistados pela Ipsos desaprovam a medida tomada em 30 de setembro pelo presidente, e 5% preferem não opinar.

Essa aprovação é um recorde para Vizcarra, que assumiu o mandato presidencial após a renúncia do banqueiro Pedro Pablo Kuczynski (2016 – 2018) pelo escândalo de corrupção da empreiteira brasileira Odebrecht.

Na pesquisa nacional realizada de 9 a 11 de outubro em um universo de 1.203 entrevistados, 85% aprovam a dissolução do congresso e afirmam estar em conformidade com a Constituição, 13% desaprovam, enquanto 2% não especificam.

Uma pesquisa da empresa CPI, realizada três dias após a dissolução do Congresso, mostrou que 89,5% dos peruanos apoiaram a medida. Apenas 9,3% se opuseram.

Desde que assumiu o governo, Vizcarra ganhou popularidade por conduzir uma cruzada contra a corrupção em um país onde os quatro presidentes anteriores são investigados por envolvimento no escândalo da Odebrecht.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.