Navigation

Sanofi e GSK prometem 60 milhões de vacinas contra COVID-19 ao Reino Unido

A corrida global em busca da vacina para COVID-19 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 29. julho 2020 - 10:53
(AFP)

Os laboratórios franceses Sanofi e British GSK prometeram fornecer ao governo britânico 60 milhões de doses de sua futura vacina COVID-19, em um contexto de competição planetária para obter essas preciosas doses.

Este acordo está firmado "sob reserva da assinatura de um acordo definitivo", disseram a Sanofi e a GSK em um comunicado.

Os dois grupos dizem que a vacina pode estar autorizada no primeiro semestre de 2021 e acrescentam que "há conversas ativas em andamento com França e Itália (...) e outros governos para garantir o acesso global" ao seu produto.

"Não há qualquer garantia" de um dia encontrar uma vacina contra o novo coronavírus, ressalta, porém, o ministro britânico de Negócios, Alok Sharma, citado nesta mesma nota.

"Apesar disso, é importante que tenhamos acesso a um amplo leque de candidatos a vacinas promissoras", completou.

Para o Reino Unido, trata-se do quarto acordo desse tipo, depois dos assinados com a AstraZeneca, Valneva e BioNTech/Pfizer. Com isso, o país já garantiu cerca de 250 milhões de doses.

Para Kate Bingham, presidente do grupo de trabalho de vacinas do governo britânico, também citada na declaração, "essa diversidade é importante, porque ainda não sabemos qual deles poderá eventualmente gerar uma resposta segura e protetora".

Bingham observa, contudo, que "talvez nunca tenhamos uma vacina e, se a encontrarmos, devemos estar preparados para que não seja uma vacina que evite a infecção pelo vírus, mas uma vacina que reduza os sintomas" da doença.

Sanofi e GSK planejam "iniciar um estudo de fase 1/2 em setembro, seguido de um estudo de fase 3 antes do final de 2020" para sua candidata à vacina.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.