Navigation

Supremo retoma debate sobre pedido de liberdade de Lula

(10 jun) Manifestantes se reúnem em frente ao Ministério da Justiça para pedir a libertação de Lula afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 11. junho 2019 - 12:44
(AFP)

O Supremo Tribunal Federal decidiu nesta segunda-feira retomar a análise do pedido de liberdade de Luiz Inácio Lula da Silva, um dia após revelações que questionam a investigação que levou à prisão do ex-presidente.

A segunda turma do Supremo, integrada por cinco ministros, colocou em sua agenda desta terça-feira o julgamento do "habeas corpus", após Gilmar Mendes concluir seu pedido de vista.

O "habeas corpus" a favor de Lula chegou a receber dois votos contrários antes do pedido de vista do ministro Gilmar Mendes.

Lula, de 73 anos, cumpre pena de 8 anos e dez meses de prisão desde abril de 2018 por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do triplex do Guarujá.

Segundo a imprensa, Gilmar Mendes deverá analisar, no dia 25 de junho, outro recurso dos advogados de Lula, no qual questionam a imparcialidade do juiz Sérgio Moro no caso do triplex.

Moro foi designado ministro da Justiça após a eleição de Jair Bolsonaro, que derrotou em 2018 Fernando Haddad, candidato escolhido pelo Partido dos Trabalhadores para concorrer à presidência após a prisão de Lula.

O ex-presidente sempre questionou a imparcialidade de Moro, mas sua posição ganhou força após revelações - no domingo - do site The Intercept Brasil sobre mensagens trocadas entre o então juíz e membros do ministério público sobre o caso do triplex.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.