Navigation

Tribunal de apelações peruano nega libertação de Fujimori

(2018) Apoiadores do ex-presidente peruano Alberto Fujimori manifestam-se em Lima afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 05. junho 2020 - 19:23
(AFP)

Um tribunal de apelações peruano confirmou nesta sexta-feira o rechaço a libertar o ex-presidente peruano Alberto Fujimori, 81, cujos filhos alegaram que ele corre o risco de contrair o novo coronavírus na prisão.

"Declara-se infundado o pedido de habeas corpus formulado por Sachie e Hiro Fujimori em favor do interno sentenciado Alberto Fujimori", diz a resolução do tribunal, que ratificou a decisão em primeira instância da juíza Adriana Zulueta.

Segundo a Justiça, "as condições da base policial de Barbadillo não permitem que ela possa ser comparada a prisões onde existe superlotação".

Fujimori (1990-2000) foi condenado em 2009 a uma pena de 25 anos pelos massacres de Barrios Altos e La Cantuta, em que 25 pessoas morreram nas mãos de um esquadrão do Exército. As duas matanças ocorreram durante o seu governo, dentro da ação contra a guerrilha maoísta Sendero Luminoso.

O Peru superou ontem 5 mil mortos pelo novo coronavírus, que já infectou mais de 183 mil pessoas no país, segundo o balanço oficial.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.