Navigation

Uruguai expressa consternação por 'golpe de Estado' na Bolívia

Presidente Evo Morales anuncia sua renúncia, em 10 de novembro de 2019 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 11. novembro 2019 - 13:42
(AFP)

O governo uruguaio expressou sua "consternação", em um comunicado divulgado nesta segunda-feira (11), pelo "golpe de Estado" ocorrido na Bolívia e que "obrigou a saída do poder do presidente Evo Morales".

Na noite de domingo, em declarações ao canal de notícias local Telenoche de Canal 4, o ministro das Relações Exteriores do Uruguai, Rodolfo Nin Novoa, havia estimado que "seria muito apressado que o governo se posicionasse sobre essa questão específica, havendo, ou não, um golpe de Estado na Bolívia".

Em uma declaração do Ministério das Relações Exteriores nesta segunda-feira, porém, intitulada "Golpe de Estado na Bolívia", o chanceler denuncia um "colapso do Estado de Direito" que "mergulhou o país no caos e na violência".

"O governo do Uruguai faz um apelo urgente a todos os atores bolivianos para que cessem os atos de violência e garantam que o processo eleitoral seja conduzido de acordo com as disposições da Constituição e das leis", acrescenta a nota.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.