Navigation

Vacina chinesa contra covid-19 chega ao Peru para testes em voluntários

Moradores de Puno, no Peru, esperam para fazer o teste gratuito para Covid-19 durante uma campanha municipal em 2 de setembro de 2020. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 02. setembro 2020 - 22:52
(AFP)

Uma missão científica chinesa chegou a Lima nesta quarta-feira(02) trazendo um lote de vacinas contra a covid-19 que, em fase de testes, será administrada em 6.000 voluntários peruanos a partir da próxima semana, informou o governo.

O ministro das Relações Exteriores do Peru, Mario López, a ministra da Saúde, Pilar Mazzetti, e a embaixadora da China em Lima, Liang Yu, receberam no aeroporto a equipe que vai coordenar os testes clínicos da vacina, elaborada pelo grupo chinês Sinopharm.

“O embaixador e os chineses estão conosco desde o início, porque somente juntos vamos vencer, juntos também na investigação”, disse o ministro Mazzetti a jornalistas no Aeroporto Internacional Jorge Chávez.

Os seis mil voluntários, entre 18 e 75 anos que não contraíram o novo coronavírus, são recrutados pelas universidades Cayetano Heredia e San Marcos, que apoiam pesquisas chinesas no Peru.

Os recrutadores peruanos receberam mais de 9.000 solicitações de voluntários.

A aplicação da vacina do grupo Sinopharm será por injeção intramuscular, no braço.

Segundo os pesquisadores peruanos responsáveis pelos ensaios clínicos, duas cepas do vírus e um placebo serão inoculados aleatoriamente nos voluntários.

Os participantes serão divididos em três grupos de duas mil pessoas. Um receberá a cepa Wuhan, outro a cepa Beijing e o terceiro um placebo, segundo os pesquisadores. Os testes começam em 8 de setembro com um grupo inicial de três mil voluntários.

O reitor da Universidade de San Marcos, Orestes Cachay, disse há uma semana que “a equipe técnica da China é formada por 38 pessoas, que vão implementar a parte operacional” do projeto. Estima-se que a experiência no Peru deve terminar em dezembro.

O presidente peruano, Martín Vizcarra, anunciou em meados de agosto que seu governo estava administrando a participação em ensaios clínicos de laboratórios da China, Reino Unido, Estados Unidos e Alemanha, que estão na fase 3 da vacina (fase em que são testados em humanos).

Com 33 milhões de habitantes, o Peru é o terceiro país da América Latina em mortes pela pandemia, com mais de 29 mil, depois do Brasil e do México. Além disso, é o segundo em infecções, com mais de 657 mil, atrás do gigante sul-americano.

Em relação à população, é o país de maior luto no mundo, com 90,48 mortes por 100 mil habitantes, segundo ranking da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.