Navigation

Vantagem de afilhado político de Morales diminui a quase uma semana das eleições na Bolívia

O candidato à presidência da Bolívia Luis Arce (MAS) cavalga durante a campanha, 8 de março de 2020 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 09. outubro 2020 - 20:38
(AFP)

O candidato presidencial de esquerda Luis Arce lidera a intenção de votar na Bolívia quase uma semana antes das eleições, mas a vantagem sobre seu principal rival Carlos Mesa diminuiu, segundo pesquisa divulgada nesta sexta-feira (9).

O ex-ministro da Economia e afilhado político do ex-presidente Evo Morales (2006-2019) tem 33,6% das intenções de votos, seguido do ex-presidente centrista Mesa (2003-2005), com 26,8%, segundo estudo da fundação católica Jubileo e uma rede de universidades.

O líder civil regional de direita, Luis Fernando Camacho, tem 13,9% de apoio para as eleições de 18 de outubro, após uma campanha marcada pela polarização entre apoiadores e opositores de Morales.

Esta pesquisa mostra variações em relação a outra realizada pela Jubileo há um mês, que mostrava 29,2% de intenções de voto para Arce, 19% para Mesa e 10,4% para Camacho. Isso significa que a vantagem do candidato de esquerda sobre seus adversários foi reduzida de 10,2 para 6,8 pontos.

As eleições presidenciais e legislativas do domingo, 18 de outubro - que foram adiadas três vezes por causa de pandemia - substituem as disputadas eleições de outubro de 2019, que geraram protestos que culminaram na renúncia de Morales.

Na pesquisa de setembro, a presidente interina de direita Jeanine Áñez foi rebaixada para o quarto lugar, com apenas 7% das intenções de voto, o que a levou a se retirar da disputa presidencial.

Outros quatro candidatos permanecem com menos intenções na nova votação, entre eles o pastor evangélico de origem coreana Chi Hyung Chung, com 2,3%, e o ex-presidente conservador Jorge Quiroga, com 1,1%.

Os cidadãos que votam em branco ou nulo e os que não sabem ou não responderam à pesquisa são 21,6%. Em setembro eram 27,5%.

A fundação Jubileo também atribuiu percentagens com base apenas em votos válidos (excluindo aqueles que responderam que votariam em branco, inválido ou não sabem). Nesse caso, o apoio para Arce sobe para 42,9%, frente a 34,2% para Mesa. Camacho aumenta para 17,8%.

Se esses resultados de fato ocorrerem nas urnas, Arce e Mesa devem disputar o segundo turno em 29 de novembro.

A Constituição declara o vencedor no primeiro turno do candidato que obtiver 50% mais um voto ou 40% dos votos com 10 pontos de vantagem sobre o segundo.

Se não houver vencedor no primeiro turno, deve haver uma votação entre os dois candidatos com maior votação.

A pesquisa feita pelo Jubileu foi realizada com o apoio das principais universidades públicas e privadas da Bolívia e consultou 15.979 cidadãos, o maior número de entrevistados na atual corrida eleitoral. Outras pesquisas reuniram entre 1.000 e 3.000 pessoas.

A pesquisa foi realizada de 2 a 5 de outubro nas áreas urbana e rural do país, e apresenta nível de confiança de 95%, com margem de erro de 0,78%.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.