Navigation

Dois cidadãos suíços enfrentam quarentena no mar

Dois cidadãos suíços estão presos em suas cabines em um navio de cruzeiro no Japão depois que dez casos de coronavírus foram descobertos a bordo. A embaixada da Suíça em Tóquio está em contato com as autoridades japonesas.

Este conteúdo foi publicado em 05. fevereiro 2020 - 12:12
O navio Diamond Princess está ancorado na costa de Yokohama Kyodo News

Os suíços, cuja presença foi confirmada pelo Ministério das Relações Exteriores, estavam viajando em um navio de cruzeiro transportando cerca de 3.700 pessoas de dezenas de nacionalidades.

Na terça-feira (4), as autoridades japonesas detectaram possíveis casos de contaminação no navio, o Diamond Princess. O navio havia chegado na noite de segunda-feira perto do porto de Yokohama, a sudoeste de Tóquio. Em Hong Kong, um caso de coronavírus foi detectado em um homem de 80 anos que já estava a bordo.

Os testes foram realizados em três grupos de pessoas a bordo do Diamond Princess: aqueles com sintomas suspeitos, aqueles que desembarcaram durante a escala em Hong Kong e aqueles que estiveram em contato com o passageiro infectado.

Foram coletadas amostras de 273 ocupantes do navio, disse o ministro da Saúde do Japão Katsunobu Kato a repórteres na quarta-feira. Os resultados de 31 dessas amostras estão atualmente disponíveis. Desses, dez foram positivos.

As dez pessoas que deram positivo desembarcaram na quarta-feira e foram imediatamente hospitalizadas, disse Kato. Elas incluem três passageiros do Japão, dois da Austrália, três de Hong Kong e um dos Estados Unidos, além de um membro da tripulação das Filipinas, segundo a empresa de cruzeiros Princess Cruises.

O restante dos passageiros e membros da tripulação devem permanecer a bordo por cerca de 14 dias, acrescentou o ministro, observando que os médicos acreditam que o período de incubação do coronavírus seja de duas semanas.

O número de mortos por um surto de coronavírus aumentou para quase 500.



Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.