Navigation

Presidente suíço ressalta o poder do cinema num mundo 'pós-factual'

Além de presidente da Confederação em 2018, Alain Berset é o ministro da Cultura no Conselho Federal Keystone

O ministro da Cultura e presidente da Suíça, Alain Berset, abriu a 53ª edição do Festival de Cinema de Solothurn, uma das mais tradicionais mostras cinematográficas do país, destacando o papel dos filmes no combate às 'fake news' (notícias falsas) e à desinformação nas mídias.

Este conteúdo foi publicado em 26. janeiro 2018 - 10:35
SDA-ATS/vdv

Em uma época onde a "onda pós-factual" varre o mundo, Berset disse que "o cinema pode nos transformar em observadores participantes, sem comentários ou codificação ideológicos".

Como exemplo, ele citou o filme de abertura deste ano para o festival, o documentário em francês "A l'école des Philosophes" ("Na escola dos filósofos"), que explora o cotidiano de uma escola para crianças deficientes.

Berset disse que vê o filme como uma forma de unir a sociedade suíça, acrescentando que a iniciativa popular a ser votada em 4 de março, chamada "No Billag", para eliminar as tarifas de rádio e TV públicas põe em risco essa coesão. O resultado da votação afetará a Spciedade Suíça de Radiodifusão e Televisão, da qual a swissinfo.ch é parte.

O Festival de Cinema de SolothurnLink externo apresentará 159 filmes em oito dias, dos quais 28 são estréias mundiais. O festival é considerado o principal evento do ano para a estreia de filmes suíços.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.