Navigation

Skiplink navigation

Símbolo muçulmano aparece em topo de montanha

Um artista questiona as tradicionais cruzes que marcam os picos de várias montanhas suíças com a instalação de uma escultura do crescente muçulmano no alto de uma montanha no leste da Suíça.

Este conteúdo foi publicado em 08. setembro 2016 - 09:00
swissinfo.ch com agências
A escultura mede 3 metros de altura e foi instalada clandestinamente durante a noite hikr.org

O artista suíço Christian Meier, um ateu convicto, levou durante a noite uma escultura de três metros de altura, batizada "Half Moon", até o topo da montanha Freiheit, no cantão de Appenzell Inner Rhodes.

Montanhistas que alcançaram o topo da montanha na quarta-feira, 7 de setembro, encontraram a obra de arte instalada ao lado de vários painéis solares.

"Já que tantos picos têm cruzes neles, me pareceu uma ótima ideia colocar um contraste igualmente absurdo", disse o artista.

É comum na Suíça marcar os picos das montanhas com uma cruz Keystone

Em uma entrevista ao jornal St Galler Tagblatt, Meier repetiu sua opinião de que acha "absurdo" erguer símbolos religiosos em montanhas. "A religião é um assunto privado. Portanto símbolos cristãos não pertencem ao topo de uma montanha", disse.

"Sou um adversário dos sistemas de pensamentos irracionais, como a religião, a homeopatia ou astrologia", acrescentou.

"É lógico que eu quis provocar de forma divertida. Mas vai além disso. As ações de um artista devem servir de alimento para o pensamento, tanto visualmente quanto em conteúdo."

As autoridades locais exigiram que Meier remova sua escultura, que não tem autorização para estar na montanha. O artista de Appenzell também recebeu uma multa pela sua manifestação artística.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo