Modelo subterrâneo 3D ajuda no planejamento suíço

O Departamento Federal de Topografia, swisstopo, apresentou um modelo 3D recentemente desenvolvido das características geológicas do planalto suíço. As novas perspectivas da paisagem subterrânea ajudarão na exploração e no planejamento para o futuro.

Este conteúdo foi publicado em 16. fevereiro 2018 - 12:57
SDA-ATS
swisstopo também oferece um aplicativo com mapas de alta definição da Suíça Keystone

O projeto GeoMol enumera as características geológicas subterrâneas e da superfície do planalto suíço, uma vasta área plana que se estende do lago de Genebra, na região oeste, ao lago de Constança, na região leste do país.

Enquanto as partes de superfície do modelo tridimensional foram construídas usando dados topográficos e modelos digitais existentes, as características geológicas subterrâneas foram modeladas de acordo com os dados adquiridos de várias empresas de extração de hidrocarbonetos nos últimos 50 anos.

No total, segundo a swisstopo, informações de mais de 60 locais de perfuração combinadas com os dados de cerca de 5.000 quilômetros de seções sísmicas, "contribuíram decisivamente para o desenvolvimento bem-sucedido do modelo 3D, permitindo-nos mostrar várias camadas e falhas subterrâneas".

O modelo tridimensional possibilita diversas aplicações para as organizações de exploração subterrânea.

Por exemplo, "uma representação segura do subsolo ajuda na exploração de minerais e no planejamento da eliminação subterrânea de resíduos radioativos", disse o departamento federal de topografia.

Pesquisas e mapeamentos adicionais das temperaturas subterrâneas também ajudam no aproveitamento do calor geotérmico.

O projeto GeoMol é o resultado de uma ampla colaboração na Suíça entre vários cantões (estados), universidades e grupos de defesa da energia.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo