Navigation

Escassez de mão de obra qualificada piora na Suíça

A escassez de mão de obra qualificada no mercado de trabalho suíço se agravou ainda mais este ano, segundo uma pesquisa. Encontrar engenheiros, técnicos e administradores bem preparados é particularmente difícil.

Este conteúdo foi publicado em 29. novembro 2019 - 10:30
Há um excesso da oferta de cabeleireiros e esteticistas na Suíça Keystone

O índice de escassez de mão de obra qualificadaLink externo, calculado anualmente pela Adecco Suíça em colaboração com a Universidade de Zurique, mede as profissões em que o número de vagas é particularmente elevado em comparação com o número de candidatos a emprego. 

O índice, publicado na quinta-feira (28), disse que este ano a escassez em certos setores tornou-se ainda mais aguda, particularmente na Suíça de língua alemã (ver mapa). 

A escassez de trabalhadores qualificados é maior no leste da Suíça. Adecco Schweiz


As profissões de engenharia, por exemplo engenheiros civis e eletrônicos, continuaram no topo da classificação por falta de mão-de-obra qualificada. Empregos técnicos, como técnicos em aquecimento, ventilação e ar condicionado, subiram do terceiro para o segundo lugar. Estes são seguidos por administradores e auditores, e depois por trabalhadores de TI. 

Além disso, a escassez de especialistas nas profissões médicas e farmacêuticas aumentou notavelmente, com consideravelmente mais vagas do que um ano atrás, disse a Adecco. Isto ficou claro no caso dos farmacêuticos, enquanto o número de médicos tem sido incapaz de acompanhar o ritmo da crescente demanda no sistema de saúde já há algum tempo. 


Conteúdo externo

Abundância de mão de obra 

Por outro lado, existe uma oferta excessiva de trabalhadores em profissões de limpeza ou higiene e cuidados corporais, por exemplo cabeleireiros, esteticistas ou cuidadores. A concorrência por empregos é maior nestas profissões, de acordo com o levantamento. 

A concorrência também é alta na indústria hoteleira, no comércio e no varejo, bem como em outras posições comerciais e administrativas menos qualificadas. 

O excesso de trabalhadores no setor da construção civil diminuiu um pouco em comparação com o ano anterior, com um aumento no número de anúncios de emprego e ao mesmo tempo uma diminuição no número de candidatos.

A Adecco disse que há várias razões por trás da escassez de trabalhadores qualificados, incluindo uma baixa taxa de desemprego e uma economia forte, particularmente no leste da Suíça.



Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo