Navigation

Efeitos secundários das vacinas contra a Covid permanecem limitados

Em 70 casos, as reações ocorreram após a segunda dose da vacina. Keystone / Peter Klaunzer

A agência reguladora de saúde Swissmedic recebeu até agora 862 relatos de suspeita de reações adversas por causa da vacina contra o coronavírus na Suíça. Isto corresponde a cerca de um caso por cada 1.000 doses de vacina administradas.

Este conteúdo foi publicado em 29. março 2021 - 17:00
swissinfo.ch/fh

"Não há até o momento nenhuma evidência de novos sinais de segurança", disse a Swissmedic em uma declaraçãoLink externo na sexta-feira passada.

A maioria dos relatos envolve mais de uma reação (um total de 2.154 reações, com média de 2,5 por relato). As mais comuns foram as reações no local da injeção (vermelhidão, coceira, dor e inchaço), febre, dores de cabeça, dores musculares e tremores. Os casos com estas reações responderam por mais da metade dos relatos (56%).

A idade média dos afetados foi de 64,4 anos; 42,7% tinham mais de 75 anos. Em dois terços dos casos, as mulheres sofreram os efeitos colaterais.

Três em cada dez relatos de reações adversas, ou 263 casos, foram classificados como graves. As reações mais comuns nesses casos foram febre, falta de ar, hipersensibilidade, reações anafiláticas, infecção com Covid-19, vômitos, tonturas e dores de cabeça.

Alguns dos pacientes "graves", cuja idade média era de 70,6 anos, precisaram de tratamento hospitalar, disse a Swissmedic. Na maioria dos casos, porém, eles não estavam em perigo.

Em 70 casos, as reações ocorreram claramente após a segunda dose da vacina.

Cerca de 460 relatos foram recebidos após uma vacinação com a vacina Pfizer/BioNTech e 393 após uma vacinação Moderna. Em nove casos, a vacina não foi especificada.

Nenhuma morte devido à vacinação

Trinta e sete pessoas morreram "em diferentes intervalos após receberem a vacina", disse a Swissmedic. Estes casos foram "analisados com especial cuidado". A idade média deles era de 84 anos, e a maioria deles tinha sérias condições pré-existentes.

"Tanto quanto se sabe atualmente, a morte foi causada por condições tais como infecções, eventos cardiovasculares ou doenças dos pulmões e vias aéreas que ocorreram independentemente das vacinas", disse. "Apesar de uma correlação cronológica, não há evidências concretas que a vacinação tenha sido a causa da morte".

Para a Swissmedic, as reações adversas relatadas não alteram o perfil positivo de risco-benefício das vacinas contra a Covid-19.

A agência suíça enfatizou que os efeitos colaterais conhecidos que não são graves não têm que ser relatados. Estes incluem dor temporária e inchaço no local da injeção, fadiga, calafrios, febre, dor de cabeça e dores musculares e articulares.

Segundo o Ministério da Saúde suíço, cerca de 1,25 milhões de doses de vacinas foram administradas na Suíça até 21 de março de 2021, e aproximadamente 466.000 pessoas foram totalmente vacinadas. 

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.