Governo reforça seus apoios frente à explosão de novos casos de Covid

Os hospitais e clínicas devem melhorar a coordenação para evitar a falta de leitos em unidades de terapia intensiva em todo o país, exortou o ministro do Interior Alain Berset. Keystone/Laurent Gillieron

O governo vai destacar as forças armadas para apoiar os hospitais suíços que estão lutando para lidar com o número crescente de pacientes afetados pelo coronavírus.

Este conteúdo foi publicado em 04. novembro 2020 - 16:40
swissinfo.ch/urs

A medida foi tomada em vista do aumento da taxa de infecção diária de Covid-19 para acima de 10.000 na quarta-feira.

O Ministro do Interior Alain Berset disse que o aumento dos casos começou a se estabilizar na semana passada, mas as novas medidas foram cruciais para evitar um colapso do sistema de saúde.

"A situação é tensa e comparável ao pico durante a primeira onda de infecções na primavera", disse ele em uma conferência de imprensa. "Apelamos a todos os cantões, hospitais públicos e clínicas privadas para que cooperem e suspendam cirurgias não essenciais".

A propagação da pandemia de Covid-19 difere consideravelmente em diferentes regiões do país, e os 26 cantões têm uma ampla autonomia em questões de saúde.

Berset disse que as medidas nacionais tomadas pelo governo na semana passada - restringindo reuniões públicas e privadas, restrições de horários de abertura para restaurantes e bares e a obrigação de usar máscaras em locais movimentados ao ar livre - estavam começando a se manifestar à medida que a curva das novas infecções parecia estar se achatando.

"Mas é muito cedo para dizer se a tendência mudou. Nos próximos dez dias ainda espera-se que os casos de hospitalizações continuarão a aumentar".

A ministra da Defesa Viola Amherd acrescentou que até 2.500 membros das forças armadas estariam disponíveis para os serviços de saúde e transporte.

As autoridades cantonais poderão solicitar ajuda do pessoal do corpo médico do exército se o pessoal civil não for mais suficiente.

Apoio financeiro

As novas medidas incluem a extensão da ajuda financeira aos clubes esportivos profissionais e aos trabalhadores autônomos, bem como a contribuição de fundos de emergência para evitar que as empresas fiquem sem liquidez.

O governo também especificou regulamentos para esportes profissionais, notadamente futebol e hóquei no gelo, para solicitar empréstimos sem juros para compensar a perda de renda.

Em março, o governo concedeu até CHF 350 milhões (US$ 382 milhões) para 2020 e 2021, mas o pacote foi posteriormente alterado pelo parlamento.

Sob as novas regras, os fundos podem ser pagos a clubes individuais e não a ligas esportivas.

Até CHF 150 milhões foram destinados aos organizadores de esportes não-profissionais que sofrem o impacto da crise da Covid-19.

Enquanto isso, o governo concordou em implementar uma decisão parlamentar para estender os pagamentos para os autônomos e as pessoas com contratos de serviços de ocasião.

Eles podem exigir uma compensação financeira pela perda de ganhos se seus negócios, notadamente no setor de entretenimento, forem forçados a fechar devido à crise.

O ministro das Finanças Ueli Maurer disse que uma proposta detalhada seria submetida a consulta, mas não foi possível apresentar números precisos nesta fase.

Maurer acrescentou que CHF 200 milhões do governo certamente não seriam suficientes, mas ele excluiu a opção de aumentar os impostos no próximo ano.


Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch.

Partilhar este artigo