Visita de ministro do Exterior a mina da Glencore irrita ONGs

Keystone

Como parte de sua viagem de cinco dias à África, o ministro das Relações Exteriores da Suíça, Ignazio Cassis, visitou uma mina de cobre. Agora ele enfrenta críticas.

Este conteúdo foi publicado em 10. janeiro 2019 - 13:08

A viagem começou no Zâmbia na segunda-feira, com uma visita às minas de cobre de Mopani, cujo acionista majoritário é a multinacional suíça Glencore.

O chefe da diplomacia suíça queria ver por si mesmo as condições de trabalho e emprego neste setor, que é responsável por 15,4% do PIB do país, segundo dados do Ministério das Relações Exteriores.

No Twitter, Cassis disse que ficou impressionado com os esforços para modernizar a indústria e treinar jovens.

Conteúdo externo

Mais tarde naquele dia, a Allianz Sud, um grupo de interesse que monitora a política suíça no campo do desenvolvimento sustentável, questionou se Cassis havia encontrado algum crítico local.


Na quarta e quinta-feira, a rádio pública suíça SRF relatou a controvérsia, observando que, de acordo com a organização não-governamental de direitos humanos Public Eye, a Glencore não tem pagado impostos consistentemente na Zâmbia. A reportagem, que citava relatórios de campo de um editor da SRF, também mencionou que as emissões da mina de cobre estavam afetando a saúde dos habitantes locais e criticou a dependência do Ministério das Relações Exteriores da Glencore.

Diretrizes de direitos humanos

Em novembro, o governo suíço publicou diretrizes de direitos humanos para empresas que operam no setor de commodities. Separadamente, também foi publicado um relatório analisando os desafios atuais e as tendências emergentes neste setor de importância estratégica para a Suíça.

A Glencore, a maior empresa de mineração do mundo, com sede no cantão suíço de Zug, recebe críticas regulares de grupos de vigilância suíços sobre questões ambientais e de direitos humanos ligadas às minas de cobre e cobalto na República Democrática do Congo.

O foco da viagem do ministro era fortalecer as relações políticas e econômicas com Zâmbia, Zimbábue e África do Sul, de acordo com o Ministério das Relações Exteriores.

Durante sua permanência no continente africano, Cassis também visitou projetos apoiados pela Agência Suíça para o Desenvolvimento e Cooperação (SDC), particularmente no campo da prevenção e tratamento do HIV / Aids.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo