Perspectivas suíças em 10 idiomas

Réveillon no Rio terá queima de fogos, mas shows estão cancelados

(Arquivo) Pessoas comemoram a virada do ano na praia de Copacabana em 31 de dezembro de 2019 afp_tickers

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), anunciou nesta quinta-feira (9) que haverá queima de fogos no Ano Novo na praia de Copacabana e em outros pontos da cidade, mas sem os tradicionais shows durante a virada, por precaução devido à variante ômicron.

Em uma coletiva de imprensa, o prefeito afirmou que “a cidade estará aberta”. “A cidade vai celebrar, […] vivemos um momento diferenciado […], com baixas taxas de transmissão”, além de baixas internações e “um número muito baixo de mortes”, afirmou Paes.

“Isso nos permite realizar esse evento com toda segurança”, acrescentou o prefeito.

Paes havia informado no sábado (4), através do Twitter, que o Rio havia decidido “com tristeza” cancelar as celebrações de Ano Novo, em meio ao aumento da preocupação em relação à variante ômicron do coronavírus.

No entanto, na terça-feira, após um encontro realizado no dia anterior com o governador Cláudio Castro, ele indicou que existia a possibilidade de realizar apenas a queima de fogos, adotando outras medidas para evitar aglomerações, como a proibição de estacionamento e bloqueios de trânsito.

Nesta quinta, após reuniões entre as autoridades de saúde do município e do estado, o prefeito anunciou que foi tomada a decisão de seguir com a versão reduzida do evento.

Além da queima de fogos em Copacabana, a prefeitura também realizará espetáculos pirotécnicos em outros nove pontos da cidade, e recomendará ao público que compareça aos pontos que esmais próximos de seus locais para evitar aglomerações.

Copacabana será fechada ao trânsito de carros particulares e ao transporte público para evitar que os não moradores venham para o bairro, e também não será permitida a entrada de ônibus turísticos de fora da cidade depois da noite de 30 de dezembro.

Paes também ressaltou que é importante que os visitantes estejam vacinados antes de chegar à cidade, pois a lei em vigor no município exige a apresentação de comprovante de vacinação em bares, restaurantes e hotéis.

“Venham para o Rio de Janeiro […] A única coisa que nós pedimos é que venham aqueles visitantes que tenham se vacinado. Visitantes que não tenham se vacinado, não serão bem-vindos”, afirmou o prefeito.

Contudo, Paes indicou que serão estabelecidos locais para que os visitantes que não estejam imunizados possam se vacinar na cidade.

Preferidos do leitor

Os mais discutidos

SWI swissinfo.ch - sucursal da sociedade suíça de radiodifusão SRG SSR

SWI swissinfo.ch - sucursal da sociedade suíça de radiodifusão SRG SSR