Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Nicholas Vinocur

NANTERRE França (Reuters) - O ex-presidente francês Nicolas Sarkozy estava sendo mantido sob custódia da polícia nesta terça-feira por suspeitas de que usou sua influência para obter detalhes vazados de um inquérito sobre supostas irregularidades em sua campanha eleitoral de 2007.

É a primeira vez que um ex-chefe de Estado francês é mantido sob custódia policial, e se trata de um duro golpe nas mais recentes esperanças de Sarkozy de voltar à Presidência do país, após a derrota para François Hollande nas eleições de 2012. O político conservador nega ter cometido qualquer irregularidade em uma série de investigações que o envolvem.

Sarkozy chegou na manhã desta terça-feira para ser questionado pelos investigadores em seus gabinetes de Nanterre, a oeste de Paris, após seu advogado ter também permanecido sob custódia para interrogatório na segunda-feira.

“O Sr. Sarkozy foi convocado em Nanterre e está sendo mantido para interrogatório”, disse uma fonte à Reuters.

Questionado sobre o assunto, o porta-voz do governo Stéphane Le Foll disse que Sarkozy estava “sujeito à Justiça como todo mundo”.

“Autoridades judiciais o estão investigando e têm de seguir até o fim”, disse ele a uma rede de TV.

Pela lei francesa, o tráfico de influência pode ser punido com até cinco anos de prisão e uma multa de 500.000 euros (682.000 dólares). Sarkozy perdeu a imunidade presidencial a processos um mês depois de deixar o poder, em junho de 2012.

(Reportagem adicional de Gerard Bon)

Reuters