Navigation

Presidente ucraniano condena interferência em trabalhos no local do acidente com avião

Este conteúdo foi publicado em 19. julho 2014 - 15:16

KIEV (Reuters) - O presidente ucraniano, Petro Poroshenko, disse ao ministro do exterior da Holanda, Frans Timmermans, que não vai tolerar nenhuma interferência no trabalho dos monitores internacionais e outros especialistas que investigam o desastre do avião da Malásia.

Poroshenko disse em um comunicado que monitores da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa foram mais uma vez prejudicados por rebeldes pró-russos em seu trabalho no local do desastre.

"Não vamos tolerar interferências no trabalho da comissão e os representantes de outros países não têm a possibilidade de conduzir uma investigação objetiva," disse Poroshenko.

(Reportagem de Eliza Piper)

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.