Navigation

Suíça vai mediar paz colombiana

Rebeldes das FARC se rendem à polícia, em novembro passado. Keystone

Autoridades suíças vão servir de mediadoras em negociações de paz entre o governo de Bogotá e o Exército de Libertação Nacional (ENL). O encontro está previsto em Genebra dias 23 e 24 de julho.

Este conteúdo foi publicado em 28. junho 2000 - 12:27

Espera-se em Genebra uma delegação com cerca de 80 pessoas, incluindo representantes da guerrilha, do governo, de partidos políticos, sindicatos e demais delegados da sociedade civil.

As negociações seriam supervisadas por "cinco países amigos", entre os quais a Cuba e Venezuela.

O Exército de Libertação Nacional é o segundo grupo guerrilheiro colombiano, depois das FARC - Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia. Os dois constituem as mais antigas e mais bem estruturadas guerrilhas da América Latina.

O governo já conseguiu avançar na tentativa de acordo com as FARC. E há muita expectativa em torno das atuais negociações com o ENL que podem criar condições de uma saída política para os dois lados, governo e guerrilha.

Na Colômbia a guerra civil vem se arrastando desde 1964. Já deixou cerca de 120 mil mortos e provocou deslocamento de 2 milhões de pessoas aproximadamente.

swissinfo com agências.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Em conformidade com os padrões da JTI

Em conformidade com os padrões da JTI

Mostrar mais: Certificação JTI para a SWI swissinfo.ch

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?