Navigation

Temperaturas do 'gelo eterno' dos Alpes suíços atingem níveis recordes

'Permafrost' é o termo usado para descrever pedaços de terra permanentemente congelada. Na Suíça, ele é encontrado sob cerca de 5% da superfície do país, tipicamente sob declives de arenito sombreados e superfícies rochosas acima de uma altitude de 2.500 metros. Keystone / Anthony Anex

A tendência de aquecimento observada no permafrost nas últimas duas décadas continuou em 2019-2020, o ano hidrológico mais quente registrado na Suíça, disse na quinta-feira a rede de monitoramento PERMOS.

Este conteúdo foi publicado em 08. abril 2021 - 16:07
swissinfo.ch/gw

Os cientistas observaram agora um aumento nas temperaturas permafrost nos últimos 20 anos em todos os locais onde a PERMOS tem medido, disse a rede em um comunicado de imprensa.

Em 2019-2020 as temperaturas do ar foram até 1°C mais altas do que a média durante o inverno. Isso, combinado com uma primavera muito quente, duas ondas de calor no verão e a chegada antecipada de neve em altas altitudes em novembro de 2019, resultou em condições quentes de permafrost em todo o país. O início precoce da cobertura de neve foi um fator porque isolou o subsolo das condições climáticas frias do inverno.

As temperaturas do solo medidas perto da superfície em setembro de 2020 também estavam, em alguns casos, em níveis recordes, resultando em uma camada ativa mais grossa - a parte mais alta do solo acima do permafrost, que descongela no verão. A camada ativa na montanha Schilthorn no cantão de Berna, por exemplo, mais que dobrou de espessura desde o início das medições, em 1998.

As altas temperaturas recordes de permafrost também foram observadas em profundidade em vários locais.

Permafrost é o termo usado para descrever a terra permanentemente congelada. Na Suíça, ele é encontrado sob cerca de 5% da superfície do país, tipicamente sob declives de arenito sombreados e superfícies rochosas acima de uma altitude de 2.500 metros.

Criada em 2000, a Rede Suíça de Monitoramento Permafrost PERMOS documenta as mudanças nas condições do permafrost nos Alpes suíços e conta com a experiência de seis institutos de pesquisa e universidades do país.

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.