Como os não-motoristas estão pagando o custo dos carros

Se você acha que o famoso sistema ferroviário da Suíça, uma rede de alta tecnologia que cruza os Alpes, consome a maior parte dos investimentos em transportes do país, pode ir mudando de ideia.

Este conteúdo foi publicado em 15. abril 2019 - 10:30
swissinfo.ch
Apesar dos usuários pagarem normalmente a maior parte dos custos, o público em geral financia 10 a 22% dos gastos públicos em transportes Keystone / Gaetan Bally

Os números mais recentes do governo mostram que o transporte rodoviário é, de longe, o meio mais caro do país para movimentar pessoas e bens - e quem não tem carro paga uma parte significativa dessa conta.

O transporte rodoviário (excluindo as bicicletas) consome 80% dos 90 bilhões de francos suíços (o equivalente a 80 bilhões de euros) gastos anualmente em trânsito, de acordo com o Departamento Federal de Estatísticas. Essa despesa inclui acidentes, poluição e infraestrutura. Em comparação, o transporte ferroviário representa 12%, o transporte aéreo 7% e o transporte fluvial 0,4% dos gastos com mobilidade na Suíça.

No geral, o orçamento para transporte é de CHF 11.000 por pessoa, independentemente de dirigir, voar, pegar o trem ou caminhar. E enquanto os usuários normalmente pagam a maior parte dos custos, o público em geral financia de 10 a 22%, dependendo do modo de transporte e dos custos paralelos relacionados.

Conteúdo externo


Embora os suíços percorram consideravelmente uma distância maior por trem do que outros europeus, os carros continuam sendo o meio de transporte mais comum - com 52% dos suíços indo de carro para o trabalho.

Os carros também são responsáveis pela categoria de trânsito mais cara, mas os gastos aumentaram apenas 2% desde 2010, comparado com um aumento de 12% nos gastos ferroviários e um salto de 14% nos gastos aéreos entre 2010 e 2015. A Suíça registrou maiores investimentos em transporte ferroviário bem como no número de passageiros aéreos (27%) durante esse período.

Mesmo aqueles que não vão a lugar nenhum, geram parte da despesa. Para todos os modos de transporte, três quartos dos custos provêm dos passageiros em movimento e um quarto do transporte de mercadorias.

Embora o transporte rodoviário seja uma grande despesa dentro da Suíça, os gastos com a construção e manutenção da infraestrutura são consideravelmente menores do que em muitos outros países.

Conteúdo externo



Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo