Navegação

Menu Skip link

Funcionalidade principal

Um canadense deu vida para o "Senhor dos Anéis"

"A Torre negra". Obra de John Howe para o filme "Senhor dos Anéis".

(gandolf.com)

Durante o Salão do Livro em Genebra, as ilustrações realizadas pelo ilustrador John Howe para a trilogia “Senhor dos Anéis” foram exibidas pela primeira vez ao público.

Howe vive há anos na Suíça.

A exposição montada no último Salão do Livro em Genebra no início de maio não era muito grande: ela mostrava apenas uma dezena de ilustrações de John Howe, um artista canadense que já vive há alguns anos num povoado próximo a Neuchâtel.

Porém o público estava excitadíssimo. Crianças e adultos não queriam perder essas imagens. Elas mostravam, afinal, como nasceram as paisagens e personagens fantásticos exibidos na trilogia cinematográfica “Senhor dos Anéis”.

O ilustrador canadense é famoso pelo seu trabalho de ilustrar em calendários, quadros e livros a obra do famoso escritor inglês John Ronald Reuel Tolkien (1892-1973), o professor da Universidade de Oxford.

Pela qualidade das suas ilustrações, John Howe foi convidado pelo diretor de cinema Peter Jackson para inspirá-lo na modelagem visual do filme. Mesmo se a versão para cinema do “Senhor dos Anéis” é uma produção hollywodiana, o filme foi inteiramente rodado na Nova-Zelândia.

Declarações

“Afora as belas paisagens nesse país, não existe mais nada que pudesse nos inspirar”, explica John Howe. “Por isso nós recriamos um mundo particular, uma espécie de Europa mítica. E quando nós precisávamos filmar um castelo, era necessário desenhá-lo do início ao fim. Não é como se estivéssemos nos baseando nas ruínas de um castelo na Europa, onde nós acrescentaríamos apenas um ou outro detalhe para depois fazer as filmagens”.

“O mais agradável do trabalho, é que as técnicas modernas nos permitem fazer qualquer coisa. Depois do desenho, nós só precisamos escolher se iremos realizá-lo digitalmente, em maquete ou mesmo uma decoração real. Tudo é possível”.

“Tolkien não inventou nada”, acredita John Howe. “Mesmo suas invenções são baseadas numa realidade legendária, mitológica, que é muito sólida. Tratam-se dos seus grandes conhecimentos da cultura, literatura e mitologia européia”.

“Finalmente, quando eu desenho, trata-se mais de um trabalho de arqueólogo do que de criador. Nós procuramos aquilo que sabemos que iremos encontrar. Eu procuro, procuro e finalmente encontro uma imagem que cola com a visão que nos é dada pelas palavras. Esse é um trabalho mais instintivo do que intelectual”.

entrevista realizada por Bernard Léchot
tradução de Alexander Thoele


Links

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.