Navigation

EUA autoriza novo teste de COVID-19 com coleta domiciliar

Profissional de saúde coleta amostra de uma moradora de Nova York para testagem de coronavírus, em 13 de maio de 2020 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 16. maio 2020 - 17:50
(AFP)

A agência responsável pelo setor de remédios e alimentos nos Estados Unidos (FDA, na sigla em inglês) autorizou neste sábado (16) um novo kit para coletar amostras nasais para o diagnóstico do novo coronavírus.

A FDA já havia aprovado, em 21 de abril, o primeiro teste de uma amostra doméstica autoextraída do nariz e enviado à LapCorp, uma grande rede de laboratórios.

Em 8 de maio, a agência aprovou um teste da Universidade Rutgers, que usa uma amostra de saliva coletada na casa do paciente e deve ser enviada para um laboratório.

Neste sábado, a agência autorizou um kit nasal fabricado pela empresa Everlywell, que pode ser analisado com diferentes testes de detecção.

Um deles consiste em um cotonete e uma solução salina, na qual a amostra deve ser submersa e depois enviada com urgência para o laboratório.

Dois testes já receberam autorização para usar o kit Everlywell, e outros podem ser aprovados posteriormente, de acordo com a FDA.

Em cada caso, a amostra é coletada em casa, mas o teste é realizado no laboratório, que depois comunica o resultado.

"A autorização de um kit de coleta domiciliar para a COVID-19, que pode ser usado por vários testes em vários laboratórios, aumenta a acessibilidade dos testes de detecção para os pacientes e protege os outros de um possível contágio", explicou o diretor do centro de dispositivos médicos da FDA, Jeffrey Shuren.

Desde segunda-feira, foram realizados mais de 300.000 testes diários nos Estados Unidos, de acordo com o Covid Monitoring Project. Este número é quase o dobro do que o país fez no início de abril.

Em muitas jurisdições, são necessárias evidências de sintomas, ou de contato com um caso confirmado de coronavírus, para conseguir ter acesso a um teste.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.