Navigation

Europol desativa rede privada virtual 'favorita' dos hackers

Os investigadores identificaram cerca de 250 empresas vítimas de espionagem por parte de criminosos que usavam o Safe-Inet afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 22. dezembro 2020 - 18:12
(AFP)

As polícias europeia e americana desmantelaram uma das maiores redes privadas virtuais (VPN) do mundo usada por criminosos, anunciou nesta terça-feira (22) a agência europeia da polícia, Europol.

As forças de segurança, dirigidas pela polícia de Reutlingen (sul da Alemanha), confiscaram na segunda-feira o serviço de VPN Safe-Inet e desativaram seus servidores, declarou a Europol em comunicado.

"Um portal elaborado pela Europol foi lançado após confiscar o nome do site", declarou a agência de polícia, sediada em Haia.

"Esse site foi confiscado", dizia nesta terça-feira a página do Safe-Inet, estampada pelas logotipos do FBI, Europol e das polícias alemã, holandesa, francesa e suíça.

O Safe-Inet estava ativo há mais de uma década e "era usado por alguns dos maiores criminosos informáticos do mundo, responsáveis por ataques com programas de sequestro, invasão de dados de cartões de crédito e outras formas graves de crimes cibernéticos", segundo a Europol.

"Este serviço de VPN era vendido a um preço alto nos círculos criminosos, por ser uma das melhores ferramentas disponíveis para evitar a interceptação das forças de segurança e oferecendo até cinco camadas de conexões VPN anônimas", acrescentou a Europol.

Os investigadores identificaram cerca de 250 empresas vítimas de espionagem por parte de criminosos que usavam o Safe-Inet.

Essas empresas "foram alertadas após um ataque iminente com programas de sequestro contra seus sistemas, portanto puderam tomar medidas para se proteger".

A operação foi realizada com a cooperação da Europol, França, Alemanha, Suíça, Holanda e Estados Unidos.

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?