Navigation

Hidrocortisona reduz mortalidade de pacientes com covid-19, aponta estudo

Paciente com covid-19 recebe atendimento em UTI de hospital da Tunísia afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 03. setembro 2020 - 13:43
(AFP)

A hidrocortisona, um esteroide de baixo custo, reduz o risco de morte em cerca de 20% dos pacientes com formas graves da covid-19 - aponta um estudo realizado no Reino Unido, onde os médicos começarão a utilizá-la imediatamente.

Muito usada como anti-inflamatório, a hidrocortisona permite aumentar "as chances de sobrevivência", mas também "acelerar a recuperação" dos pacientes que sofrem as formas mais graves da doença, explicou nesta quinta-feira (3) à AFP Anthony Gordon, pesquisador do Imperial College London, diretor da equipe britânica que participa deste estudo internacional.

Os pesquisadores testaram os efeitos de sete esteroides diferentes em 403 pacientes que tiveram reações graves ao novo coronavírus.

Realizados em 88 hospitais britânicos, esses testes revelaram a eficácia da hidrocortisona, que pode salvar um a cada 12 pacientes.

"Dos pacientes que não foram tratados com este esteroide, cerca de 40% morreram de uma forma severa da covid-19", explicou Gordon.

"No grupo que demos este esteroide, apenas 32% morreram", disse.

Essa diferença de oito pontos equivale a uma "redução de 20% do risco de mortalidade", afirma o pesquisador.

Classificando-a como "mais uma arma no arsenal do combate mundial à covid-19", o diretor-geral do Serviço Nacional de Saúde britânico (NHS), Simon Stevens, anunciou em um comunicado "medidas imediatas para garantir que os pacientes que podem se beneficiar do tratamento com hidrocortisona" tenham acesso a ele.

"Este não é um tratamento que pode ser feito em casa para prevenir o coronavírus, ou para tratar sintomas leves", alertou Gordon, destacando que não foram feitos testes em outros locais fora do hospital e que o esteroide está reservado para os casos mais graves.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.