Navigation

Art Basel adia novamente sua feira devido à Covid-19

Assim era a Art Basel antes da pandemia (2019) © Keystone / Georgios Kefalas

A maior feira de arte do mundo, a Art Basel, foi adiada para o outono por causa do coronavírus.

Este conteúdo foi publicado em 22. janeiro 2021 - 12:04
Art Basel/Bloomberg/SWI swissinfo.ch/ilj

A organização internacional de arte disse na quinta-feira que a exposição da Basileia seria transferida de junho para setembro deste ano, "devido ao impacto contínuo da pandemia e das restrições de viagem em todo o mundo".

A edição do ano passado foi totalmente cancelada após um adiamento semelhante ao outono.

"Enquanto a primeira fase dos programas de vacinação Covid-19 começou em muitas partes do mundo no mês passado, 2021 é um ano em que o planejamento permanece complexo devido a muitas incertezas. Ao transferir nossa feira da Basileia para setembro, esperamos oferecer às nossas galerias maiores possibilidades de preparar com sucesso seu ano", disse Marc Spiegler, Diretor Global da Art Basel, em uma nota.

"Após dez meses de programas de vacinação em muitos países, antecipamos uma ampla participação internacional em nossa feira da Basileia em setembro, porque todas as nossas conversas dentro do mundo da arte indicam um forte desejo de ver a arte pessoalmente e de nos engajarmos face a face com o cenário cultural global".

Os organizadores planejam continuar as atividades online para promover as galerias participantes da feira para compradores e fãs de arte.

A Art Basel é tradicionalmente a última parada na primavera/princípio do verão da turnê global de compradores e colecionadores de arte. Ao contrário de outras feiras, onde galerias trazem trabalhos relativamente acessíveis, a feira suíça é uma vitrine para o melhor que os negociantes têm a oferecer. As galerias muitas vezes retêm suas peças mais caras especificamente para que elas possam apresentá-las aos quase 90.000 visitantes da Art Basel.

Em 2019, a última vez que a feira foi realizada, ela registrou um volume de negócios da ordem de 4 bilhões de dólares (CHF 3,54 bilhões).

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.