Manifestação pelo clima reúne 100 mil pessoas em Berna

Logo se tornou quase impossível chegar mais perto do edifício e da praça do parlamento suíço swissinfo.ch

Três semanas antes das eleições federais, mais de 100.000 pessoas manifestaram na capital suíça, no sábado, para exigir que os políticos atuais e futuros tomem medidas contra a mudança climática.

swissinfo.ch

Uma aliança de mais de 80 grupos em todo o país organizou o protesto, que inundou a praça do parlamento e as ruas circundantes com milhares de manifestantes.

Inicialmente, os organizadores esperavam cerca de 25.000 participantes, mas mais tarde elevaram a estimativa total para 100.000, número confirmado pela polícia local. Todas as gerações estavam representadas, bem como uma variedade de grupos de interesse ambiental, social e religioso.

Milhares de manifestantes chegaram por meio de trens extras. Como parte da campanha "I Bike To Move It", muitos pedalaram durante horas para se juntarem a eles.

Oleg Gather e Margot Wohnlich levaram cinco horas de bicicleta de Lausanne até Berna swissinfo.ch


Por uma política climática rigorosa

Como refletido em muitas bandeiras e cartazes, os manifestantes pediam aos políticos suíços uma política climática consistente e eficaz - incluindo uma estratégia para acabar com a dependência dos combustíveis fósseis.

Os manifestantes também pediram aos particulares que repensassem seus hábitos de consumo, especialmente na escolha dos alimentos e meios de viagem. Alguns grupos serviram refeições quentes com pratos e talheres reutilizáveis.

Ele é vegetariano, ela vai de trem para todos os lados: Carlos Dürler e Lisa Hoby, de Zurique swissinfo.ch

Entre os oradores no palco erguido em frente ao parlamento estava o vencedor do Prêmio Nobel de Química, o suíço Jacques Dubochet: "Há mais de 50 anos que os detentores do poder elogiam o dinheiro como uma cura milagrosa para que as pessoas acreditem na felicidade através do consumo”. Vania Alleva, presidente do sindicato suíço UNIA, fez um apelo por uma transformação ecossocial da economia e da sociedade. Um ativista indígena de Bornéu pediu a suspensão dos investimentos que levam à destruição das florestas tropicais.

A manifestação do sábado 28 de setembro marcou o final da edição suíça da Global Climate Strike.


Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo