Navigation

Pesquisadores se unem para desenvolver supercomputador

Os computadores quânticos são mais poderosos do que este, na imagem: super-computador do Depto. Federal de Meteorologia e Climatologia, em Lugano, Suíça. Keystone

A Escola Politécnica Federal de Zurique (ETH) e o Instituto Paul Scherrer (PSI) se uniram para fundar um centro de desenvolvimento de computadores quânticosLink externo. Trinta pesquisadores irão trabalhar no "Quantum Computing Hub".

Este conteúdo foi publicado em 03. maio 2021 - 14:30
Keystone-SDA

Na ETH, pesquisadores dispõe hoje de computadores quânticos que trabalham com até 17 bits quânticos, os chamados qubits. Porém explicam que a tecnologia só poderá ser realmente explorada com a utilização de milhares de qubits.

O próximo passo será desenvolver computadores com mais de 100 qubits. O objetivo é avançar a realização de computadores quânticos que usem a tecnologia de "armadilha de ions" (Ion Trap), uma combinação de campos eletromagnéticos usados para capturar e manipular íons (partículas atômicas eletricamente carregadas), e com materiais supercondutores. Para este fim, os cientistas pesquisam as duas tecnologias no mesmo laboratório.

O novo centro estará localizado no campus da PSI em Villigen, no cantão da Argóvia. Os computadores quânticos desenvolvidos no centro serão disponibilizados aos pesquisadores de várias disciplinas.

Os comentários do artigo foram desativados. Veja aqui uma visão geral dos debates em curso com os nossos jornalistas. Junte-se a nós!

Se quiser iniciar uma conversa sobre um tema abordado neste artigo ou se quiser comunicar erros factuais, envie-nos um e-mail para portuguese@swissinfo.ch.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.